5 passos para fortalecer a cultura organizacional da empresa

Sumário

Você já ouviu falar sobre “a alma da pequena empresa”? Esse conceito foi estabelecido por Nihal Kaviratne, um dos diretores da Olam International, uma grande marca no setor de agronegócio, e é referência quando o assunto é Cultura Organizacional de empresas.

A ideia defendida por Nihal é que, não importa o quanto a sua empresa cresça e se destaque no mercado, ou até mesmo passe a faturar milhões: é fundamental manter alguns valores de pequena empresa.

Como bem sabemos, administrar um pequeno negócio é muito diferente de administrar um de porte gigantesco. Mas será que nada pode ser aproveitado?

Leia até o final e descubra quais são os 5 passos para fortalecer a cultura organizacional, inspirando-se em ações de pequenas empresas que podem ser replicadas em qualquer negócio.

O que é a cultura organizacional?

 

Antes de, efetivamente, partirmos para os princípios de Nihal, é importante entender com clareza do que se trata a Cultura Organizacional.

Basicamente a cultura organizacional reúne valores, crenças e ações que definem a identidade da empresa e a forma como o negócio é conduzido.

Não é muito diferente do conceito de cultura de um país, por exemplo. A cultura de um país traz ali comportamentos comuns e repetidos, pensamentos alinhados e valores intrínsecos de um povo, ainda que cada pessoa seja única e mantenha as suas individualidades.

A Cultura Organizacional funciona do mesmo jeito, porém considerando o universo empresarial. Quando bem estabelecida, essa cultura pode ajudar a alinhar expectativas e procedimentos, tornando o
ambiente de trabalho mais saudável e agradável para todos.

5 princípios de Nihal Kaviratne

 

Fortalecer a cultura organizacional da empresa talvez seja um dos grandes desafios que um gestor enfrenta durante a sua jornada. Afinal, se a ideia da cultura não for comprada e abraçada por todos os clientes internos ela tende a falhar em algum ponto.

Os 5 princípios de Nihal Kaviratne foram, sim, pensados para negócios de pequeno porte. Porém,
são conceitos absolutamente adaptáveis para qualquer porte.

Clareza de propósitos:

 

Propósitos e objetivos bem estabelecidos são fundamentais para qualquer empresa. Nesse sentido, é importante não somente que eles sejam definidos, mas que sejam repassados, envolvendo toda a equipe em busca dos melhores resultados.

Liberdade dentro de um limite:

 

Um bom líder deve garantir que sua equipe tenha liberdade para solucionar problemas, mas ele também deve fornecer os limites. Portanto, o que Nihal nos ensina é que o líder deve ser muito enfático com relação ao “o quê?” e permitir liberdade no “como?”.

 

Comunicações informais:

 

Comunicações informais são muitas vezes mais práticas e ajudam a derrubar barreiras de diálogo. Por isso, garantir que a equipe tenha acesso a um e-mail e se comunique diretamente com o diretor quando necessário, por exemplo, pode ser ótimo para fortalecer a cultura organizacional.

 

Interdependência:

 

O trabalho em equipe é fundamental para o crescimento de uma marca. Aqui é importante destacar que a interdependência é diferente da co-dependência.

A ideia não é que a equipe não saiba trabalhar isoladamente, mas sim que todos entendam o peso e a
eficiência do trabalho em conjunto. Essa ideia precisa ser estimulada e cultivada pelos líderes.

Generosidade de espírito:

 

Ser generoso é um valor beneficial em qualquer esfera da vida humana. Isso inclui o ambiente de trabalho.

Proteger novos funcionários, dividir os louros e celebrar vitórias ajuda a fortalecer os vínculos e a cultura
Customer Centric, já que funcionários satisfeitos atraem mais clientes.

A generosidade aqui é uma das características mais tipicamente atribuída às pequenas empresas. Afinal, uma pequena empresa vive essencialmente de suas boas relações, da construção de laços que vão além dos comerciais – tanto com o cliente externo quanto com o cliente interno.

Estabelecendo a cultura empresarial

 

Se você pretende encaminhar a sua empresa para uma estratégia de Customer Centric, investir em uma
cultura organizacional que seja clara e objetiva é muito importante. Para isso temos algumas dicas valiosas.

Faça a pergunta certa:

 

Segundo Edson Rigonatti, mentor do workshop sobre People Operations, existem algumas
perguntas que podem guiar melhor a empresa em busca de sua cultura. São elas:

  • A empresa existe para ganhar dinheiro e ser eficiente, ou por uma causa?
  • Há flexibilidade nas atividades, ou para tudo há um processo definido?
  • Essa marca prefere pensar numa solução, ou prefere descobrir a solução conforme tenta resolver?
  • Os líderes são controladores ou preferem delegar?
  • É possível correr riscos, ou a empresa tem um perfil conservador?
  • A empresa lida com as pessoas de um jeito diplomático ou direto?
  • É priorizado o trabalho em equipe ou o trabalho individual?
  • Vale mais o que acontece dentro de casa ou fora de casa?

Perceba que, ao responder essas perguntas, você consegue identificar muitos traços a respeito da sua empresa, o comportamento que é esperado e difundido dentro dela.

Funcionários demitidos são importantes:

 

Pode parecer esquisito, mas aqueles funcionários que você desliga são fundamentais para entender o perfil de sua empresa e estabelecer a cultura organizacional.

Afinal, quando você contrata você sabe o que está procurando, e quando demite percebe o que é inaceitável dentro da empresa. Preste muita atenção nesses perfis dispensados.

A mente do fundador é um alicerce para a cultura da empresa

 

Não podemos falar da cultura organizacional ignorando a importância do fundador da empresa.

O crescimento de algumas marcas pode até ser conquistado com o passar dos anos, através de diferentes gestões. Mas o que mantém a empresa ativa e estabelecida em seu mercado
é a manutenção dos ideais dos fundadores.

Por exemplo, a Apple se tornou um exemplo de excelência em dispositivos tecnológicos porque esse era o sonho de Steve Jobs. A Disney se transformou no maior império da fantasia porque assim desejou Walt Disney.

Resgatar constantemente o desejo do fundador é algo primordial para que a equipe nunca se esqueça sobre o que move a empresa, o que os leva até ali e quais são os motivos pelos quais se dedicam diariamente ao trabalho.

Os princípios de Nihal nos apresentam um novo ponto de vista sobre como estruturar e fortalecer a cultura organizacional. Independentemente do porte de sua empresa, dê atenção adequada a essa questão.

 

Selecione uma letra abaixo e mergulhe no universo Customer Centric:

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se em nossa newsletter

Posts relacionados