5 erros na hora de dar feedbacks aos colaboradores

Sumário

Dentre as muitas atribuições de um líder, fornecer bons feedbacks é uma das coisas mais importantes. Através dessa ferramenta é possível orientar a equipe e estimular o desenvolvimento particular e coletivo dos colaboradores.

No entanto, existem alguns fatores que podem desvalorizar o feedback. É importante se atentar e evitar os 5 erros na hora de dar feedback que podem fazer com que a sua mensagem chegue com ruídos e não seja amplamente compreendida pelos subordinados.

Afinal, o que é feedback?

Antes de falarmos especificamente dos 5 erros que devem ser evitados ao dar feedback na sua equipe, é importante falarmos sobre o que significa feedback, propriamente dito.

O principal objetivo de um feedback é ajudar as pessoas a evoluírem e melhorarem seus desempenhos, Então, ele se trata de uma reunião em que são apontados os pontos a serem melhorados.

Mas também cabe – e é muito bem-vindo- ao líder apontar os pontos fortes durante essa reunião. Assim fica claro que o objetivo é apenas propor melhorias, e não acabar com a autoestima ou desmotivar o funcionário.

Feedforward:

Derivado do tradicional feedback, o feedforward tem um olhar mais adiantado. Nesse caso, a reunião serve como espaço para apontar melhorias futuras, aquelas que serão importantes para o colaborador dentro de algum tempo.

Podemos dizer que o feedforward é excelente ferramenta para formar líderes. Ele é usado quando, ao observar o comportamento de um bom funcionário, o líder identifica potenciais que podem ser desenvolvidos de maneira mais tranquila, sem pressa.

A importância do feedback para a sua equipe

O líder tem como função ajudar sua equipe a se desenvolver. O feedback é fundamental nesse contexto, pois serve como um termômetro sobre o desempenho do colaborador e suas habilidades desenvolvidas.

Além disso, se trata de um canal fundamental de comunicação que, quando bem utilizado, ajuda a tornar o diálogo entre o líder e a equipe mais claro, objetivo, profissional e confiável.

5 erros comuns na hora de dar feedbacks

Agora chegamos ao ponto fundamental desse conteúdo. Conhecer os 5 erros mais comuns na hora de dar feedback é essencial para evitá-los e para usar essa ferramenta de gestão a seu favor.

Perder o timing:

O feedback tem um tempo de validade. Por isso ele deve fazer parte da agenda de rotina das empresas, com reuniões constantes que possam apontar essas melhorias e defasagens da equipe.

Alguns especialistas orientam que o intervalo ideal é de 2 ou 3 meses. Esse tempo é ideal para que a novos planos sejam alinhados e, assim, o feedback faz mais sentido e é mais bem direcionado.

Expor o colaborador:

Um dos cuidados mais importantes é que o feedback não se torne traumático para o funcionário. Por isso, não se deve expor esse funcionário.

Apontamentos e críticas negativas nunca devem ser feitas na frente de outros funcionários. Prefira fazer isso de maneira discreta e reservada, garantindo a privacidade e o bem-estar do colaborador.

Lembre-se que o feedback também existe para estreitar laços e tornar a relação com a equipe mais clara e transparente. Sendo assim, a comunicação não deve soar violenta ou ofensiva em nenhum momento.

Falta de clareza:

O funcionário que está recebendo um feedback precisa compreender o que é apontado. A falta de clareza e o aspecto vago de um feedback pode confundir e desvalidar a reunião.

Por isso, esse feedback deve ser seguido de exemplos. Se vai falar de um comportamento que prejudica o desempenho, exemplifique com numa situação real que o funcionário ocasionou.

Falta de dados e informações:

Chegar de mãos abanando na reunião de feedback ou forward é outra falha que pode prejudicar bastante os resultados obtidos através dessa reunião.

Colete dados e informações sobre a empresa, sobre o setor ou sobre e sobre a atuação desse funcionário em especial para fundamentar os seus argumentos. Fazer uma pesquisa e obter dados é fundamental para iniciar a conversa.

Generalizar atitudes:

Não generalize as atitudes de seu funcionário. Evite termos como “nunca” ou “sempre”, que dão a entender que o funcionário comete os mesmos erros repetidamente.

Destaque os momentos em que eles ocorreram e aponte também exemplos positivos, situações em que ao tomar decisões diferentes esse colaborador conseguiu resolver corretamente o problema.

Ofereça apoio e acompanhamento após o feedback

Após um feedback negativo o funcionário deve contar com apoio e suporte para apresentar melhorias conforme lhe foi apontado na reunião.

Por exemplo, se você diz que o colaborador precisa gerenciar melhor suas mensagens de e-mails, que muitos recados importantes passam batido, mas não oferece uma ferramenta que ermita sinalizar prioridades, excluir e filtrar demandas fica difícil acontecer mudanças.

O feedback não tem como finalidade empurrar a responsabilidade das melhorias somente para o colaborador, mas sim mostrar que a empresa está disposta a ajudá-lo nessa jornada rumo a um melhor desempenho.

Inclua o feedback nas tarefas de sua empresa

Negligenciar o feedback pode ser algo bastante prejudicial. Sem essa orientação a sua equipe não sabe o que a empresa espera dela e não sabe se está cumprindo com as expectativas.

Por isso desenvolver o hábito de realizar reuniões frequentes com cada colaborador, com a finalidade justamente de apontar melhorias possíveis e pontos fortes é tão importante.

Um bom líder deve também estar preparado para ouvir feedbacks e entender quando as falhas da equipe são, na verdade, um reflexo de problemas em sua própria gestão.

Selecione uma letra abaixo e mergulhe no universo Customer Centric:

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se em nossa newsletter

Posts relacionados